Moeda Romana Escassa de Constantius (337-361 dC).

**Oferta por tempo limitado**

**Fenix**

**Oferta por tempo limitado**

Moeda Romana Escassa de Constantius (337-361 dC).

Cunhada na Siscia.

Anverso: DN CONSTAN-TIVS PF AVG. Busto diademado de pérolas, drapeado e com armadura à direita.

Reverso: FEL TEMP REPARATIO. fênix radiada em pé à direita no monte rochoso. enxergo: ΔSIS, símbolo Y.

RIC VIII 240, Δ symbol 4

Dimensões: 2,30 gm; 16 mm

Refc11544

 

Fênix

Fênix, no antigo Egito e na antiguidade clássica, uma ave fabulosa associada ao culto do sol. Dizia-se que a fênix egípcia era tão grande quanto uma águia, com plumagem escarlate e dourada brilhante e um grito melodioso. Apenas uma fênix existia a qualquer momento, e tinha vida longa – nenhuma autoridade antiga lhe deu uma vida útil inferior a 500 anos. À medida que o fim se aproximava, a fênix formou um ninho de ramos aromáticos e especiarias, incendiou-o e foi consumido pelas chamas. Da pira milagrosamente surgiu uma nova fênix, que, depois de embalsamar as cinzas de seu pai em um ovo de mirra, voou com as cinzas para Heliópolis (“Cidade do Sol”) no Egito, onde as depositou no altar do templo de o deus egípcio do sol, Re. Uma variante da história fez a fênix moribunda voar para Heliópolis e se imolar no fogo do altar, do qual a jovem fênix então se levantou.

Os egípcios associavam a fênix à imortalidade, e esse simbolismo teve um apelo generalizado na antiguidade tardia. A fênix foi comparada à Roma imortal, e aparece na cunhagem do final do Império Romano como um símbolo da Cidade Eterna. Também foi amplamente interpretado como uma alegoria da ressurreição e da vida após a morte – ideias que também apelaram ao cristianismo emergente.

Moeda Romana Escassa de Constantius (337-361 dC).

SKU: 11544
R$ 348,00Preço